Saiba como evitar golpes na Black Friday

Atualizado: 7 de nov.


Com o aumento das compras pela internet na Black Friday, cresce também o número de fraudes virtuais. Quem pretende aproveitar a oportunidade para ir às compras, quando as lojas prometem vender produtos com grande desconto na última sexta-feira do mês de novembro, deve se cercar de alguns cuidados para não cair em golpes.


É recomendável que, antes de comprar, o consumidor sempre pesquise os preços do produto em sites e lojas diferentes. Isso ajuda a saber se estão com preços realmente promocionais e evita as compras por impulso.


Especialmente na Black Friday, acompanhar os preços praticados pelo mercado algumas semanas antes é uma boa estratégia para não cair nas “pegadinhas de maquiagem de preços”, quando o fornecedor sobe o valor do produto para simular um grande desconto no dia da promoção.


Também é importante verificar a segurança do site em que se pretende fazer as compras. Antes de clicar em um link, o consumidor deve passar o mouse em cima dele para verificar se o endereço que aparece na barra inferior do navegador é o mesmo. Ao entrar no site, deve conferir na barra de navegador se o endereço eletrônico usa o protocolo HTTPS e se é exibido um ícone em forma de cadeado fechado. Ao clicar em cima da fechadura, deve aparecer o certificado de segurança do site. O usuário também precisa manter o seu computador ou dispositivo móvel de acesso à internet protegido com senhas, antivírus e firewall atualizados, além de usar redes wi-fi seguras. Se o preço do produto gerar alguma dúvida, o consumidor deve desconfiar.


É recomendável que o consumidor opte por sites com boa reputação e desconfiar de páginas da internet que ele e seus amigos desconheçam. Antes de comprar em sites desconhecidos, verificar o que os consumidores estão falando da empresa nas redes sociais e também em sites como o Reclame Aqui. Sempre verifique as informações de contato e identificação da empresa. Os sítios eletrônicos ou demais meios eletrônicos utilizados para oferta ou conclusão de contrato de consumo devem disponibilizar, em local de destaque e de fácil visualização, as seguintes informações:

- nome empresarial e número de inscrição do fornecedor, quando houver, no Cadastro Nacional de Pessoas Físicas ou no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda;

- endereço físico e eletrônico, e demais informações necessárias para sua localização e contato;

- características essenciais do produto ou do serviço, incluídos os riscos à saúde e à segurança dos consumidores.


Para auxiliar o consumidor, o PROCON dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo produziram uma lista de sites inconfiáveis, que os consumidores devem evitar. São aqueles sites que, por exemplo, após o pagamento não entregam os produtos ou não realizam os serviços. Muitos deles não têm CNPJ cadastrado na Receita Federal e levam também o consumidor a acessar outros links utilizados para furtar os dados dos usuários.


Acesse em:


RJ: https://drive.google.com/file/d/1a-Pgddr2NJfijxkJ0vb84A4jNo7aoZic/view

SP: https://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Foram 3 anos e 8 meses até aqui de uma série de omissões do juízo responsável pelo caso. Omissões essas que foram objeto de inconformismo não somente da Defesa, mas também do próprio Ministério Públic